Google+ Followers

Google+ Followers

quinta-feira, 6 de setembro de 2012

Dia do Hino Nacional Brasileiro - 13 de Abril


DIA DO HINO NACIONAL BRASILEIRO - 13 DE ABRIL
 

     Em trezentos anos de História, o Brasil não teve um Hino Nacional. Mesmo depois de sua independência, por nove anos ficou sem hino.
     Sua música foi criada em 1822, por Francisco Manuel da Silva (1795-1865). Em 1831, para comemorar a abdicação de D. Pedro I, Francisco Manoel da Silva refez o Hino que passou a ser tocado nas diversas solenidades, sem ter, contudo, uma letra. Apenas em 1909 ganhou letra de Joaquim Osório Duque Estrada, mas só em 1922, às vésperas do centenário da Independência do Brasil, foi oficializada.
     Joaquim Osório Duque Estrada (1870-1927), professor, crítico literário, jornalista e integrante da Academia Brasileira de Letras foi o vencedor do concurso público para a escolha da letra.    
     O Hino Nacional Brasileiro é considerado por muitos como um dos mais belos do mundo e causa uma forte comoção nacional quando é executado em grandes ocasiões. Os nossos grandes atletas nos enaltecem e elevam o nome do nosso país quando sobem ao pódio elevando a bandeira brasileira ao coro do nosso hino. O hino brasileiro ajuda a construir uma identidade nacional com a afirmação de nossa nacionalidade e independência.

Fonte: Sites diversos da Internet

Joaquim Osório Duque Estrada (1870-1927)


Francisco Manoel da Silva - (1795-1865)


O Hino Nacional Brasileiro
Letra: Osório Duque Estrada
Música: Francisco Manoel da Silva

Parte I

Ouviram do Ipiranga as margens plácidas
De um povo heróico o brado retumbante,
E o sol da liberdade, em raios fúlgidos,
Brilhou no céu da pátria nesse instante.

Se o penhor dessa igualdade
Conseguimos conquistar com braço forte,
Em teu seio, ó liberdade,
Desafia o nosso peito a própria morte!

Ó Pátria amada,
Idolatrada,
Salve! Salve!

Brasil, um sonho intenso, um raio vívido
De amor e de esperança à terra desce,
Se em teu formoso céu, risonho e límpido,
A imagem do Cruzeiro resplandece.

Gigante pela própria natureza,
És belo, és forte, impávido colosso,
E o teu futuro espelha essa grandeza.

Terra adorada,
Entre outras mil,
És tu, Brasil,
Ó Pátria amada!
Dos filhos deste solo és mãe gentil,
Pátria amada,
Brasil!

Parte II

Deitado eternamente em berço esplêndido,
Ao som do mar e à luz do céu profundo,
Fulguras, ó Brasil, florão da América,
Iluminado ao sol do Novo Mundo!

Do que a terra, mais garrida,
Teus risonhos, lindos campos têm mais flores;
"Nossos bosques têm mais vida",
"Nossa vida" no teu seio "mais amores."

Ó Pátria amada,
Idolatrada,
Salve! Salve!

Brasil, de amor eterno seja símbolo
O lábaro que ostentas estrelado,
E diga o verde-louro dessa flâmula
- "Paz no futuro e glória no passado."

Mas, se ergues da justiça a clava forte,
Verás que um filho teu não foge à luta,
Nem teme, quem te adora, a própria morte.

Terra adorada,
Entre outras mil,
És tu, Brasil,
Ó Pátria amada!
Dos filhos deste solo és mãe gentil,
Pátria amada,
Brasil!

Nenhum comentário:

Postar um comentário